Berloques de viagem: 4 lembranças eternizadas em prata

Berloques de viagem em prata

Corta para o verão de 2014. Foi quando minha paixão por berloques de viagem começou.

Minha prima, minha irmã e eu decidimos que era hora de nos aventurarmos em uma viagem juntas. Sabe aquela história de trinta coisas para fazer antes dos 30? Então, ela começou a pesar. Eu queria conhecer trinta países antes de fazer trinta anos, queria voar de balão, tirar fotos com um cavalo-marinho, colocar os meus pés no Oceano Pacífico. Tanta coisa! De repente, a gente sentiu que a vida estava passando muito rápido… Era hora de mergulhar mais fundo.

E desde então eu tenho colecionado berloques de viagem em prata.  O que uma coisa tem a ver com a outra? Senta que lá vem história!

Berloques de viagem e um roteiro inesquecível pela Europa

Todo o roteiro de quase trinta dias foi combinado via Skype com cerca de três meses de antecedência. Começaríamos a viagem por  Barcelona, depois Palma de Mallorca, em seguida voaríamos para Bologna e de lá conheceríamos Florença e Roma. De Roma, viajaríamos para Tessalonica, seguida por Atenas e Míconos. Depois, o destino era a Turquia, onde voaríamos de balão na Capadócia, visitaríamos a mesquita azul em Istambul e nadaríamos nas montanhas de algodão em Pammukkale. Penúltima parada: Paris. E depois de uma dose de cultura (o plano era desvendar o Louvre!), era hora de fechar a viagem com chave de ouro nas festas de Ibiza. Roteiro perfeito, né? E, olha, ele não é nada comparado às histórias inesquecíveis que rendeu. Os berloques que eu carrego na minha pulseira contam cada uma dessas histórias!

Comemorar o aniversário de 26 anos na Catalunha

Berloque de Viagem em Prata -Bandeira da CatalunhaFoi em Barcelona que eu comemorei meu aniversário de 26 anos. E foi em Palma de Mallorca também. Em Barcelona dançamos a noite inteira com indianos e tomamos tequila em uma balada à beira-mar chamada Opium. Lá pelas quatro da manhã, seguimos pouco sóbrias rumo ao aeroporto. Dormimos na frente do gate e quase perdemos o vôo! A festa continuou em Palma de Mallorca, onde caímos sem querer em uma balada cheia de alemães. Foi quando eu prometi a mim mesma que sempre conheceria uma nova cidade no meu aniversário – esse ano foi Liubliana, na Eslovênia. Comemorei um pouco atrasada, mas comemorei!

O berloque escolhido? A bandeira da Catalunha, claro! O preço? R$ 89,90.

Na Itália, a paixão me pegou!

Berloque de viagem em prata - Coliseu na Itália Assim que o avião aterrissou em Bologna eu me encantei pela cidade. Tão  diferente de tudo o que eu já havia visto… Tão única! Ali conhecemos um rapaz italiano chamado Cosmo, estudante da Universidade de Bologna, que nos mostrou um pouco sobre a cidade e nos contou sobre a Universidade – a mais antiga do Ocidente. Fiquei tão encantada pela Universidade de Bologna (em particular, pelo prédio da biblioteca) que jurei que estudaria ali um dia. Quatro anos depois, cá estou eu fazendo o mestrado que tanto queria. :)

Já em Florença, foi o por-do-sol que me encantou. Depois de assistirmos o que talvez foi o por-do-sol mais bonito que eu já vi na vida com direito a música, vinhos e queijos, seguimos para uma festa com vista para o skyline de Florença. Lá, me encantei por um francês. Pronto, já tínhamos um convite para conhecer a Cidade Luz de um jeito que só as comédias românticas mais água com açúcar poderiam inventar.

Foi em Roma, entre vespas e uma proibição de entrar no Vaticano com short curto, que comprei a minha pulseira de prata e comecei oficialmente a acumular boas histórias em forma de berloques.

O berloque de viagem do Coliseu é feito em prata e custa R$ 69,90.

Ah, a magia da Capadócia…

Berloque de viagem em prata - Balão na CapadóciaProvavelmente atingir o nirvana é a sensação mais próxima do que é voar de balão pela Capadócia. As paisagens, a luz dourada do amanhecer, os perfumes. Ah, os perfumes! Absolutamente tudo por lá é mágico. Se um dia você tiver a chance de voar de balão na Capadócia, voe. A experiência é realmente muito especial.

 

 

O berloque de viagem de balão em prata é cravejado com zircônias e custa R$ 139,90. Lindo, lindo!

 

Paris, a cidade mais romântica do mundo?

Berloque de viagem em prata - Torre Eiffel em Paris

Ah, Paris! Eu tinha grandes expectativas sobre a Cidade Luz.

O que eu posso dizer é que definitivamente Paris não é minha cidade no mundo. Quer dizer, a nossa estada em Paris foi mágica, sim. Conhecemos rooftops escondidos com vista para Notre Dame, passeamos pela cidade à noite sob as luzes da torre Eiffel… Não conheci Paris como uma turista – não dessa vez. Mas aprendi que Paris sabe ser a cidade mais romântica do mundo – essa fama não é à toa. A paixão que começou em Florença, no entanto, acabou em Orly. Então eu e minha prima afogamos nossas mágoas (que mágoas?) em Ibiza. O que sobrou dessa história? Um berloque em forma de torre, claro!

O berloque de viagem mais romântico (ou nem tanto, vamos combinar) da minha pulseira: a Torre Eiffel! Em prata, ela custa R$ 59,90.

Berloques de viagem: um novo jeito de carregar memórias

Eu costumo dizer que os meus netos terão minha pulseira como herança. Desde essa viagem, minha vida mudou drasticamente. Não posso carregar muita coisa na mala, então eu lido com a arte do desapego todos os dias. Compro menos coisas, consumo infinitamente mais experiências. Tenho uma vida mais focada em experimentar e não acumular objetos.

É na minha pulseira que eu guardo meus melhores momentos. Cada berloque possui uma – ou várias! – histórias especiais para contar. O que eu quero da vida? Só que ela seja cheia de momentos como esses.

E como a vida e a lista de desejos não param já tenho planos de acrescentar mais berloques de viagem à coleção: passagem de avião, passaporte (em homenagem à cidadania italiana!) e globo terreste. Enfim, é o presente perfeito para quem ama viajar!

Boas notícias! Esse post foi criado em parceria com a loja  Amo Berloque.
Isso significa que leitorxs do blog ganham um desconto de 10% com o voucher HELLO_DAMAS
Quer mais? O preço dos berloques de viagem começam em R$ 4,90 (bijuteria) e R$ 19,90 (em prata).

Yellow but pink boots: a bota tipo Timberland que é pau para toda obra

pink boots lumberjack

Tudo começou assim: eu precisava de um par de sapatos novos. Um belo par de sapatos que passeasse tanto na cidade quanto no brejo. Um par que me acompanhasse em trilhas curtas, fosse verão ou inverno – uma coisa meio difícil de conquistar. É que não dá para carregar muita coisa na mochila! Mas aí eu lembrei da Timberland, marca famosa pelas botas/tênis para trilhas e barcos… Pink boots à vista!

Só que eles era muito, muito caros.

Meu primo então disse: “Mariana, vamos para Mantova! Lá tem um shopping de outlets”. Mas, na loja de fábrica, a bota Timberland ainda custava 119 euros. Na na ni na não! “Já ouviu falar na Lumberjack?”, disse ele.

E então surgiu a solução:

lumberjack pink boots
olá, essa é a minha companheira nos próximos dez (?!) anos

Pink boots: uma releitura das yellow boots – que eu não escolhi porque são muito… amarelas (argh!). Esse tipo de bota é prática e multiuso porque o couro nobuck é impermeável: são urbanas e off-road ao mesmo tempo.

pink boots - lumberjack
de pertinho

Já a Lumberjack é uma marca italiana que fabrica o mesmo tipo de calçado que a Timberland (e que mantém a qualidade incrível) por um preço mais acessível, digamos assim. Essas, por exemplo, custaram 46 euros – menos que a metade do preço da versão Timberland.

Agora sim minhas sapatilhas pretas que, coitadas, não podem de jeito nenhum se aventurar em trilhas, terão um descanso. Ufa!

Serviço:
Mantova Outlet
Via Marco Biagi, Bagnolo San Vito MN
Aberto todos os dias, das 10h às 20h
P.S.: As lojas com melhor custo benefício eram a Lumberjack e a Nike. Achei tudo muito caro nas outras!

Notting Hill: 5 razões para visitar

Feirinha de antiguidades em Notting hill. Foto: Mariana Gabellini.

Depois de ficar pouco menos de uma semana em Londres, já tenho meu lugar preferido na cidade: Notting Hill! Alguém pode dizer: “clichê, hein?”. Mas, vem cá, Notting Hill não é clichê por acaso…
Aos sábados, as ruas do bairro londrino respiram arte. Música, moda, antiguidades, gastronomia… Tudo de um jeito despretensioso e nada afetado. Até me lembra a feirinha da Benedito Calixto em São Paulo – mas com muito, muito mais variedade. Londres tem tudo que eu amo em São Paulo, só que multiplicado por mil. Então prepare-se para TMI nesse post!

notting hill houses

1. Arquitetura arco-íris de Notting Hill

Quando você sai do metrô passa por uma rua incrível de casas vitorianas brancas. Mas à medida que caminha, as residências ganham cores em suas portas… Até que atingem o grau máximo de felicidade: muitas casas juntinhas umas das outras em tons de rosa, roxo, azul, amarelo e laranja! Maravilhoso!

2. Bazar de labels – para sonhar

Por lá existe um bazar com peças novas, mas de coleções passadas, de marcas que vão de Louboutin a Vivienne Westwood com itens como sapatos, bolsas e roupas. Mas não se engane: as etiquetas não são a grande atração do lugar.

bazar notting hill

Se der uma passadinha por lá, aproveite para reparar nas peças dos vários estilistas: modelagens, estampas e texturas inusitadas, tudo à la Carrie… Como se a vida fosse um grande teatro.

Pena que as peças são só para sonhar mesmo… Com a cotação atual real/libra, é preciso pensar duas vezes até antes de tomar um sorvete! O preço dos Loubies aí de cima? 330 pounds. Ouch!

3. Garimpo no mercado de pulgas

Quer comprar prataria? Tem. Correntinhas, brincos e pulseiras? Sim, senhorita. Se é do tipo que coleciona canecas, a variedade então é imensa! E para quem adora um achado vintage, as bolsas de couro (ou não) são uma boa pedida.

notting hill vintage market2

notting hill vintage market purses2

Mas, na minha opinião, o que mais vale a pena são os…

4. Um paraíso de… chapéus

Em Londres, para todo lugar que você olha há meninas usando chapéus! Os modelos de aba larga são os mais comuns, mas não são os únicos, claro. Cores, tamanhos e modelos: não importa! Cada uma com seu estilo.

Aliás, a dupla chapéu + loafer parece uniforme – e tem lá seu charme, né? Eu que deixei os meus chapéus em casa (minha mega coleção de três itens! hahaha) senti a tentação de provar alguns modelos. O problema? O precinho: 25 pounds (ou cerca de R$ 150), em média. Sorry mas não rolou, babe.

5. Yey! A comida é boa e barata

Agora que você economizou dinheiro não comprando um chapéu, merece uma quiche de queijo. Ou uma paella, hambúrguer e até pão de queijo!

notting hill food

É que por toda a feira há barraquinhas de diferentes países… O pão de queijo não é tão barato assim (custava 2 pounds), mas o combo de cinco tipos de queijos franceses por apenas 5 pounds valia a pena. #chegadequeijo

P.S.: Esse post poderia se chamar Notting Hill para mãos-de-vaca e ainda assim faria muito sentido, right?

Garimpo da semana: brechó Capricho à Toa, em São Paulo

Sapatos garimpados no Brechó Capricho à Toa, na Vila Madalena, em São Paulo.

Há um tempo fiz uma listinha aqui no blog com 19 coisas que eu queria fazer/ser que me tornariam uma pessoa mais interessante. Não sei se, de fato, tudo isso me tornou mais interessante… Mas a verdade é que estou cada vez mais perto da pessoa que eu quero ser! Menos consumista, mais pé no chão. E o brechó Capricho à Toa me ajudou nessa tarefa.

Se você não leu a listinha, já te adianto. O décimo item diz assim: “não gastar mais que R$ 100 em um sapato, roupa ou acessório”. Sentiu o drama? Em outras palavras, encontrar roupas e acessórios por esse preço tem sido difícil até em lojas de departamento. Tive que dizer adeus à Riachuelo, C&A e Renner e mergulhei em um universo novo: os brechós!

E coisas incríveis aconteceram, acredite.

Todo o meu dinheiro agora vai para uma poupancinha que envolvem outras metas que me deixam ainda mais feliz, como viagens, cursos e… Comida. Recomendo! E conheci também muitos brechós que detonam aquela ideia de lugar-empoeirado-cheio-de-coisas-velhas. Vou apresentar todos eles aqui no blog. O primeiro deles (que é meu passeio habitual de sábado) é o Capricho à Toa!

A sala de vestidos do brechó Capricho à Toa, em São Paulo
A sala de vestidos do brechó Capricho à Toa, em São Paulo

A mágica e colorida sala dos vestidos

Capricho à Toa: os achados mais legais do brechó

Uma das minhas maiores descobertas, o Capricho à Toa fica em São Paulo, na Vila Madalena, em uma casa muito charmosa. Lá, os itens são divididos em salas: uma para os sapatos, uma para os vestidos, uma para as saias, e assim vai. Os preços dificilmente superam a casa dos cem reais – a não ser que seja um casaco de marca mega famosa ou bolsa idem. Aliás, tem sempre uma bolsa Michael Kors dando pinta por lá! E, olha, você encontra sim itens de boa qualidade, quase novos, por preços surrealmente bons. Eu digo, eu provo!


Peguei e levei! Scarpin de spikes Kurt Geiger Carvela, por R$ 79; sandália de tira da Schutz, R$ 39 (essa comprei com a etiqueta, sem uso!) e scarpin anabela da Aldo, por R$ 29. Pechincha, né?

Mas nem tudo são flores. Como é muito difícil ter peças repetidas, as chances de você se apaixonar por um item que não tem no seu tamanho são altas. Aí, você esperta que é, faz como eu: compra uma numeração três vezes maior para levar “um dia” na costureira, que ela ajusta. Não faça isso! Não se engane! Tem que ter auto controle até quando as peças são baratas, sim.


Paixão não correspondida

Essa saia aí em cima é um dos casos de paixão não correspondida. Toda linda de couro com correntes. Na etiqueta dizia 34, mas quando vesti entrou só em uma perna. Perdi a chance de fazer um bom negócio: da Bo.Bô, ela custava R$ 69! Sai frustrada, mas a vida tem dessas.

Brechó Capricho à Toa
Rua Heitor Penteado, 1096 – Casa 8
Sumarezinho / Perdizes – São Paulo
(pertinho do metrô Vila Madalena!)
Segunda à sábado: 9h30 às 18h30
Fechado aos domingos e feriados

achadinho da 25 de março & outros papos de elevador

Zooey Deschanel

Papo de elevador geralmente é sinônimo de conversa fiada (e eu tenho pavor disso, juro!). Mas daí que trabalhar em uma revista feminina tem lá suas vantagens… Uma delas é que esses tais papos de elevador geralmente correm para elogios – que eu acho que são verdadeiros, vai saber. Esmalte, sapato e cor do cabelo sempre viram pautas elogiosas de elevador; e, de fato, são as mais recorrentes.

Quer dizer: pílulas de autoestima são sempre bem-vindas antes do almoço, certo? Eu valorizo!

Dia desses, enquanto esperava o dito cujo, uma moça desconhecida virou do nada e perguntou como eu conseguia carregar ~coisinhas femininas~ em uma bolsa tão pequenina. Papo vai, papo vem, contei que a tal bolsa era da rua 25 de Março (famooosa pelos balangadãs baratinhos) e que custou só R$ 36. Isso rendeu mais alguns minutos de conversa (é, o elevador demora muito!).

A conclusão? A bolsa é “incrível”, sim, mas principalmente por causa do precinho amigo dela. No final das contas, eu fiquei com isso na cabeça… Que bom seria dividir esses achadinhos garimpados por aí, né? Infelizmente eu não tenho o nome certinho da loja, mas prometo fazer isso mais vezes – e com mais detalhes!

Na Glamour BR desse mês, inclusive, saiu uma vitrine com bolsas doctor por menos de R$ 200. A mais barata era R$ 99, mas taí um exemplo que dá, sim, para garimpar por pelo menos metade do preço!

Tem gente que odeia a 25, mas eu realmente acho que ali existe um mundo de possibilidades… Enfim, não lembro o nome da loja, mas lembro que ficava numa galeria paralela à rua-caos!

Comprando make no Paraguai: Miss Rôse vale a pena?

maquiagemparaguaia

Nesse meio tempo sumida por aí, fiz uma pausa e viajei de carro para o Paraguai. A intenção era fazer um post com algumas lojas legais por lá, mas definir Ciudad del Este como surreal é pouco. Muitos táxis malucos, gente falando o (incompreensível) guarani, filas imensas nos dois pontos gastronômicos da cidade (Burger King e Mc Donalds), trânsito caótico. Loucura, loucura! Atravessar a ponte da Amizade é uma experiência única… e garimpar depois da travessia também. Por isso, nem me atrevi a tirar a câmera da bolsa!

Enfim, para quem está em Foz do Iguaçu, quer comprar perfumes ou maquiagem sem sair do conforto – e pagar barato por isso – eu recomedo o Duty Free de Puerto Iguazú, na Argentina. E você ainda faz a festa na parte das bebidas (a Amarula custava 12 dólares, gente!). Você não vai encontrar MAC, Nars e Chanel, mas vale a visita.

Vamos ao que interessa, as maquiagens paraguaias. Ou nem tão paraguaias assim. Esses itens são importados de Hong Kong e vendem aqui no Brasil também. Mas não por um precinho tão bom, quer ver?

E a gente começa pelos piores: os blushes. Cada um custou menos de R$ 5. O cremoso tem uma embalagem bem resistente – aliás, embalagem é um diferencial no quesito “maquiagens baratinhas”, e a Miss Rôse é realmente boa nisso. Mas a cor (número 6) é um horror. É um rosa meio neon, que blush algum deveria ousar ser. Meio que choca as pessoas na rua, sabe? Por isso ele ganhou o status de batom mate na minha necessaire. Já o blush em pó (esse com a embalagem super parecida com aquela vintage da Bourjois), é muito (muito!) pigmentado. E eu ainda não consegui dosar a quantidade do pó. Não gostei.

Eis a máscara para cílios. Com uma embalagem muito amor, me conquistou à primeira vista. Ela dá volume (mas não é uma Colossal da vida) e também alonga (não é uma Diorshow, que fique bem claro!). Ela tem um custo-benefício OK para quem custou R$ 5. Mas não chega nem perto das minhas máscaras preferidas. Vai fazer bonito no dia a dia. Tá bom já, né?

Ah, o mais querido de todos, o kajal! Por incríveis R$ 2, eu me arrependo por não ter comprado mais dez iguais. Quem quer olho marcado, encontra nele o seu melhor amigo. Recomendadíssimo.

Brigette’s Boutique: depoimento sobre compras internacionais

Brigette’s Boutique: lápis Urban Decay, máscara Diorshow, blot e base Studio Fix da Mac

Acho que toda pessoa que possui um avatar online já teve uma looouca vontade de se esbaldar em um desses sites de compras internacionais, né? Aqui eu conto porque escolhi o Brigette’s Boutique para fazer a minha primeira compra internacional online.

A minha vez finalmente chegou quando o meu namorado se propôs a comprar um blot (aquele pó da MAC que segura a oleosidade) de natal, já que o meu havia acabado recentemente. Ele estava em uma loja física da marca prestes a comprar quando eu o impedi e propus algo, digamos assim, mais interessante. Muito espertinha, eu dei a ideia de que, com o mesmo valor, dava para comprar o blot e mais algumas coisinhas em um desses sites. E é aí que a história começa.

Escolhi o Brigette’s Boutique porque, além de super recomendado, eu já havia ganhado um kit smokey eye da e.l.f. em um sorteio do Trendy Twins. Os preços por lá são realmente bons e eles entregam de verdade! O que é essencial. hahaha

No dia 20 de dezembro, escolhi 4 itens do site Brigette’s Boutique:
O lápis Smoke Out, da Urban Decay: $9.95
A máscara para cílios Diorshow Iconic, da Dior: $17.50
A base Studio Fix na cor C2, da MAC: $25.50
E, claro, o blot na cor Medium Dark, também da MAC: $28.50

Compras no site Brigette’s Boutique
Brigette’s Boutique: lápis Urban Decay, máscara Diorshow, base e blot da MAC em conta

Somando o valor dos produtos ($81.45) ao valor do frete ($28.63), a compra no Brigette’s Boutique totalizou $110.08.

As encomendas foram enviadas no dia 22 de dezembro.

Agora vamos às partes críticas da questão:

1. Fiz compras cinco dias antes do natal. O que logicamente significa caos aéreo caos dos Correios. É comum encomendas não serem entregues ou ficarem vagando por aí ou demorarem cerca de 4 meses para chegar ou voltarem para Hong Kong, se de lá vieram.
2. Minhas compras ultrapassaram bastante o valor de 50 dólares – a quantia máxima permitida para que as mercadorias entrem no país sem tributação.

Perceberam minha situação? Eu estava realmente apreensiva.

Apesar de a encomenda ter sido enviada dia 22 de dezembro, ela só chegou no país dia 10 de janeiro. E permaneceu dois dias na alfândega até ter sido liberada para a entrega. No dia 14 de janeiro já estava com os produtinhos em mãos.

Mas…

Apesar de bastante eficientes quanto à minha encomenda, os Correios certamente não deixariam passar quase 111 dólares assim, ilesos. A explicação é simples:

A (muito atenciosa) Brigette colocou na embalagem de envio que o valor totalizava 45 dólares, sendo 23,28 dólares de frete. Desta forma, eu saí ilesa.

Enfim, apesar de ter dado tudo certo (melhor impossível!) não recomendo que façam uma loucura do tipo. Isso porque passei o natal e o ano novo apreensiva, com medo da palavra “TRIBUTADO”.

presentes de natal!

Na semana passada minha mãe estabeleceu um budget para minha irmã e eu comprarmos nossos presentes de natal! Por fim, escolhemos comprar roupas e partimos para o garimpo. A maioria das peças foi adquirida em lojinhas perto de casa. Achei um desafio bem legal. hahaha

Eis aqui algumas peças que comprei:

Também adquiri uma long tee navy (que é a coisa mais linda!) e uma jardineira preta muito fofa. Mas os meus amorzinhos de verdade estão aí em cima!

Sinceramente? Minhas expectativas foram superadas! Certamente não compraria tanta coisa legal pelo mesmo valor em um shopping, por exemplo. :)