Hygge: 6 ideias, livros ou tendências para inspirar sua semana na quarentena

Hygge (pronuncia-se “hiu-ga”) é uma palavra dinamarquesa (de origem norueguesa!) que não tem tradução em outras línguas. Ela define um sentimento de bem-estar e conforto. Sabe aquele calorzinho no coração que dá ao sentar com um café quentinho na frente de uma lareira, ao ler um bom livro no sofá ou ao sentir o calor do sol em um dia frio de primavera? Ou talvez aquela sensação que a gente tem em uma boa conversa com os amigos enquanto compartilhamos nossa comida favorita… Bem, tudo isso é hygge.

O significado de hygge envolve um sentimento de aconchego, de se sentir em casa. Hygge é uma palavra que define um sentimento extremamente enraizado na cultura dinamarquesa.

Os dinamarqueses (assim como outros povos escandinavos) são mestres em criar atmosferas que transmitem essa sensação: a hygge decor. Por isso, muitos ambientes são minimalistas e transmitem calma e intimidade, e geram a sensação de aconchego. Quer ver? É só pensar nos ambientes criados pela empresa sueca Ikea – mais funcional e minimalista que isso não existe, né?

Uma pista de que toda essa atenção aos detalhes e essa valorização do bem-estar funciona é que os dinamarqueses são um dos povos mais felizes do mundo (de acordo com o World Happiness Report) – e até possuem um instituto de pesquisa para isso: o Happiness Research Institute.

É claro que o design e o estilo nórdico não são os únicos motivos da felicidade: a Dinamarca é um dos países mais igualitários do mundo, tem licença parental compartilhada entre homens e mulheres, ensino superior gratuito e trens que funcionam no horário… Mas os dinamarqueses também queimam mais velas por família do que em qualquer outro lugar! Nesse sentido, o estilo nórdico é apenas uma consequência de escolhas que valorizam quase sempre o bem-estar.

E já que estamos em quarentena, não existe época melhor para a gente se inspirar nessa ideia, né? É nesse tempo em casa que a gente percebe a importância de ser feliz em nosso próprio lar e focar nas pequenas coisas que nos rodeiam – atualmente, para manter a sanidade, sobretudo.

Urban Jungle: uma selva dentro de casa

Se você reparar bem, nos ambientes escandinavos uma cor quase sempre se destaca no interior das residências: o verde. E ele aparece quase que unicamente nas plantas. Nessa quarentena, por que não ir além? Cuidar das plantas pode ser um exercício diário e ajuda a desestressar em tempos de incerteza. Para mim, tem ajudado horrores! O momento de rega funciona quase como uma meditação, já que eu foco apenas no presente.

Plantas dão cor e alegram o ambiente – alegram também quem cuida delas. Melhor: o Brasil possui um ótimo clima para o cultivo de diferentes espécies – plantas tropicais como monstera deliciosa e monstera adansonii estão fazendo sucesso por aqui na Europa, aliás. Vale arrumar um cantinho em casa para cuidar de algumas belezinhas verdes.

Estilo nórdico e o valor do artesanato

Foi na metade do século 19, período em que a industrialização ganhou força na Europa, que países como Dinamarca, Suécia e Noruega criaram sociedades para proteger o trabalho artesanal. Por isso, a ideia de rusticidade é muito valorizada e aparece em diversos detalhes do design de interiores dos países nórdicos (Dinamarca, Ilhas Faroe, Finlândia, Islândia, Noruega e Suécia).

A simplicidade mora na predominância do branco, da madeira e das linhas geométricas. Tudo tende a ser sofisticadamente simples e funcional. Quanto mais rústico melhor: peças de cerâmica e materiais naturais como algodão, bambu e lã são peça-chave no estilo escandinavo.

A loja inglesa Bloomingville é uma boa fonte de inspiração para esse estilo, com peças de tapeçaria, cerâmica e mobília com referências escandinavas.

A pequena e charmosa marca dinamarquesa Madam Stolz (que eu particularmente sou encantada!) produz itens têxteis, móveis e luminárias para decoração com uma pegada boho. A marca está sediada na pequena ilha dinamarquesa Bornholm, mas envia as peças para lojas do mundo inteiro.

Pintura terapêutica

E já que os escandinavos valorizam tanto os trabalhos manuais, que tal mergulhar em um hobby relaxante como a pintura? Não importa se você é talentoso ou não… A pintura também pode te ajudar a conquistar o sentimento de satisfação e tranquilidade.

Estudos já mostraram que a prática de técnicas de arte melhora nossa resiliência psicológica, além de reduzir sofrimento, aumentar a autorreflexão e a autoconsciência, alterar o comportamento e os padrões de pensamento e normalizar a frequência cardíaca e a pressão arterial.

O poder das velas

Em um estudo do Happiness Research Institute publicado em “O Livro do hygge: O segredo Dinamarquês Para Ser Feliz” (“The Little Book of Hygge”, em inglês) o autor Meik Wiking destaca que 28% dos dinamarqueses acendem velas todos os dias e 31% deles acendem mais do que cinco velas ao mesmo tempo! Por isso, as velas são item essencial para garantir aquela vibe hygge em casa. É, quando o assunto é decoração e bem-estar, não é preciso muito para ser feliz.

Alimentos 0km

Cosméticos com ingredientes “a zero quilômetro” é um termo que eu conheci na Itália (a ideia do Made in Italy é muito forte não por acaso!), mas percebi que ele pode ser aplicado para uma infinidade de itens, principalmente comida.

A ideia 0km consiste basicamente em valorizar os pequenos produtores locais, além de ser uma maneira de ter o melhor dos ingredientes – que chegam sempre frescos à mesa e com procedência garantida, por exemplo. Mais: essa ideia ainda ajuda na redução da pegada de carbono.

O restaurante Noma, em Copenhagen, eleito um dos melhores do mundo algumas vezes pelo ranking World’s 50 Best, é um ótimo exemplo: nele, o chef concentra-se exclusivamente em utilizar ingredientes da Escandinávia, evitando itens como azeite de oliva (ingrediente típico do Mediterrâneo) e focando em ingredientes colhidos ali pertinho do restaurante mesmo.

Essa é uma ótima ideia para focar em tempos como esse (e em outros também!): apoiar o comércio local e os pequenos produtores.

Manual Hygge: “O Livro do Hygge: O Segredo Dinamarquês Para ser Feliz”

Se você ficou interessado na ideia de hygge, pode ser uma boa ideia comprar um dos vários livros sobre o tema. Talvez o mais famoso deles seja o livro escrito pelo presidente do Happiness Research Institute, Meik Wiking: The Little Book of Hygge: Danish Secrets to Happy Living, em inglês; ou O Livro do Hygge. O Segredo Dinamarquês para Ser Feliz, em português.

Bem ilustrado, o livro discorre sobre o estilo de vida dinamarquês e como a ideia de hygge é aplicada no cotidiano desse povo. Uma ótima inspiração para essa quarentena e também ótimo para presentear quem a gente ama!