Cidade do Cabo para visitar e se encantar!

Victoria e Albert Waterfront Cape Town South Africa

O mundo girou, o tempo passou e o blog, que ficou parado nas últimas três semanas, está de volta! A road trip pela África do Sul, que começou na Cidade do Cabo, encheu meu novembro de cor e o que era para ser um ano novo incrível virou realidade só agora… Quase um ano depois!

É que no ano passado, enquanto planejava a viagem, desisti por causa dos altos preços das passagens (perto da virada, os valores ultrapassavam R$ 3 mil! ought) e porque é complicado ser mulher e viajar sozinha pelo país por dois motivos simples: falta de transporte público e altas taxas de violência – é, a África do Sul é um dos países com maior índice de estupro do mundo! É uma sociedade violenta e machista, como a nossa. Mas, calma, apesar de ter feito uma viagem de carro com o namorado, descobri que dá sim para viajar sozinha com segurança por lá! E, juro, você vai se apaixonar. Então, chega mais!


carro: o melhor jeito de viajar pela África do sul!

Goeie dag… Cidade do Cabo!

Não se engane, Cidade do Cabo é um pedacinho especial da África muito diferente de outras grandes cidades do continente! Quando o avião aterrissou, eu estava preparada para encontrar pobreza, trânsito caótico e já tinha aquela sensação de insegurança que a gente bem conhece no Brasil. Mas a coisa não funciona bem assim por lá… Pelo menos não na Cidade do Cabo.

Por causa da colonização holandesa e inglesa, a cidade tem muito da arquitetura europeia. Também é organizada, limpa, moderna e com relativa boa infra-estrutura (exclua transporte dessa lista!). Mas isso também se deve ao apartheid, regime político que tirou, entre muitos direitos, a possibilidade de os pobres morarem no centro e dividiu a sociedade em brancos e não brancos.

Quando você fizer o caminho aeroporto-centro da Cidade do Cabo, irá perceber que a parte pobre e negra da sociedade vive na periferia em construções bem parecidas com as favelas brasileiras. E onde tem pobreza e desigualdade, já sabe: tem violência.

Bo-Kaap
Bo-Kaap, um bairro para quem ama cores

A cidade turística que todo mundo vê é a cidade dos europeus e seus descendentes, mas na Cidade do Cabo também formaram-se guetos interessantes. É o caso do bairro muçulmano Bo-Kaap: mega colorido, mega fotografado em editoriais de moda e, sim, com um restaurante mega bom (+ preço justo): o Biesmiellah. Lá, não deixe de provar o bobotie, prato típico sul-africano com carne moída, temperos doces, arroz e ovo. Para acompanhar, peça o mango lassi que é uma coisa de bom. Delícia!

Transporte público: que falta faz um ônibus!

Enquanto viaja pelo país, também é comum encontrar gente pedindo carona e acenando dinheiro nas margens das rodovias. Os guias de viagem dizem que é perigoso oferecer carona e, por isso, decidimos não arriscar. Aí mora outro aspecto da desigualdade: o direito de ir e vir só existe para quem tem carro – o que não é a realidade da maior parte da população. Os ônibus são escassos e os trens perigosos. Por isso, caso vá visitar a África do Sul, o ideal é alugar um carro.

É mochileira e pretende viajar sozinha na África do Sul? O jeito mais seguro de fazer isso é reservando roteiros no Baz Bus, uma rede de ônibus criada para mochileiros, que inclui viagens entre cidades e até safáris. Aliás, todos os mochileiros que conhecemos nos hostels da vida usavam o serviço!

A famosa Montanha da Mesa

Além de Bo-Kaap, o bairro muçulmano mega colorido, a Cidade do Cabo conta ainda com uma geografia de tirar o fôlego (e que rende, inclusive, muitas comparações com o Rio de Janeiro!): a Table Mountain é o principal cartão-postal da cidade.


lá do alto da Table Mountain

Fizemos a trilha de subida da montanha que durou cerca de três horas e NOSSA quase morri, mas queimei muitas calorias. A vista lá do alto é imperdível e a dica é visitar a montanha assim que você tiver o primeiro dia de sol sem nuvens na cidade. Mas, é, a vista com nuvens também rende boas fotos. hahaha Para os preguiçosos, fora de forma ou quem prefere deixar a aventura para lá, há o bondinho que leva até o topo e traz de volta. Ufa!

mareli
#girlpower no alto da montanha

Fizemos a trilha da Table Mountain pela manhã e precisávamos de um passeio mais relax para o final da tarde. Solução: tomar uma cider de buenas no Victoria & Alfred Waterfront. É aí, nesse porto, que você terá certeza de que a África do Sul não é nada do que imaginava! O Waterfront é um lugar surrealmente norte-americano.


eu não sei vocês, mas eu fiquei bem impressionada com Victoria & Alfred Waterfront

É de Victoria & Alfred Waterfront, aliás, que saem os barcos para Robben Island, prisão onde Nelson Mandela ficou preso por 27 anos e que é um marco na história sul-africana. Para visitar a ilha é preciso reservar antecipadamente aqui. Infelizmente não conhecemos o lugar, porque deixamos para decidir de última hora e, claro, nos enrolamos. Então, dica: pelo menos essa visita, não deixe para decidir lá.


o melhor café da manhã da cidade fica na New Brighton Bakery, juro

As vinícolas de Stellenbosch e o lado gourmet da Cidade do Cabo

Ah, a rota dos vinhos! wine estates: fazendas produtoras de vinho que oferecem serviços de degustação da bebida – e que podem incluir queijos. Lendo assim, tudo parece gourmet demais. Mas não é! É sim uma experiência deliciosa.


nem vinho, nem queijo: outras perdições dos wine estates

Visitamos Fair View, um dos wine estates mais comerciais da região. Acredite: pagamos um euro para experimentar sete vinhos e por mais um euro era possível provar queijos à vontade! Então separe um ou dois dias para aproveitar as vinícolas, que também contam com restaurantes, e deguste a vida beeem devagarzinho.

Bathhouses Muzeinberg
as famosas casas de banho de Muzeinberg

Exuberante por natureza: Boulders Beach e Cape Point

Nem só de Table Mountain vive a fama da região. Por lá, também é possível se aventurar em uma infinidade de passeios em meio a natureza: você pode nadar com tubarões brancos ou avistar baleias e golfinhos de um barco!


desafio do dia: não se apaixonar pelos pinguins de Boulders Beach

Separamos um dia para fazer um passeio de carro pela Baía Falsa, parando em pontos famosos como as casas de banho coloridas (e fotogênicas!) de Muizenberg; a Boulders Beach (R60 por pessoa), praia famosa pela água azul cor de céu onde é possível nadar com pinguins (se você tiver coragem de entrar na água geladíssima!)…


tomar sol com pinguins: na África do Sul você pode!

E, finalmente, Cape Point (R125 por pessoa), o famoso Cabo da Boa Esperança dos livros de história da quinta série. Todos imperdíveis!


meu companheiro de aventuras & eu em Cape Point <3

Veja também outros posts sobre a viagem para a África do Sul:

+ Como é fazer um safári na África do Sul?
+ Garden Route, uma road trip inesquecível pela África do Sul